O planejamento anual de manutenção preventiva definitivamente não é algo trivial, ao contrário, exige muita precisão e conhecimento técnico do planejador sobre seu parque de ativos e suas especificações.

O mapa das 52 semanas corresponde ao planejamento macro anual, muitas vezes chamado de plano base da manutenção. Composto basicamente por todas as manutenções preventivas em ativos da indústria.

São distribuídas nas 52 semanas enumeradas do ano, todas as ordens de acordo com a periodicidade configurada nos planos de manutenção. Nestes planos são definidos os períodos e intervalos entre as manutenções, de acordo com a necessidade, criticidade e relevância do ativo na operação da empresa. A periodicidade dos planos pode ser entre outras semanal, quinzenal, mensal, semestral, anual, etc.

A seleção dos ativos que serão considerados no mapa das 52 semanas é muito importante. Existem critérios diversos a serem levados em consideração, como, nível de criticidade (classificação ABC), importância operacional, estado de conservação, contratos com terceiros e garantias, etc.

Ativos que não sejam contemplados no mapa terão algum tipo de estratégia para sua manutenção. Esta estratégia deve ser definida com o time gestor da indústria.

A concepção dos planejamentos de manutenção, que terá como consequência o mapa das 52 semanas deve levar em consideração departamentos chave da indústria, como controle de produção, logística, comercial e outros. Visto riscos operacionais e até mesmo eventuais necessidades de parada dos processos produtivos. Deste modo o trabalho do programador de manutenção deve ser orquestrado com as demais áreas chave da indústria.

Destacamos que antes da definição dos planos de manutenção, é de suma importância a medição do backlog de atividades pendentes de finalização, além da capacidade operacional da equipe.

Em todos os planos de manutenção precisam estar nítidos os recursos em geral que a manutenção precisará contar para a execução das ordens planejadas.

Os recursos que compreendem desde itens de insumo, hora homem trabalhada e até mesmo contratos com terceiros. De modo que através do planejamento sejam processadas todas as necessidades para o planejamento de áreas da indústria como suprimentos, RH e compras.

A aplicação do mapa das 52 semanas na indústria corrobora para a aplicação de boas práticas nos processos de manutenção através de políticas estratégicas bem definidas para cada ativo.

O mapa das 52 semanas traz à indústria visibilidade sobre a operação de seus ativos, custos planejados e principalmente a maximização de sucesso nas operações produtivas.

Ildefonso Porangaba

Cofundador do Hefx - Analista de Negócios e Gerente de projetos com vasta experiência no gerenciamento de projetos de desenvolvimento e implantação de sistemas de gestão.

Deixe uma resposta